XIV Congresso IBERCOM

Proposta do Congresso

O XIV Congresso IBERCOM da Associação Ibero-americana de Comunicação (AssIBERCOM) , a ser realizado na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, de 29 de março a 2 de abril de 2015, tem como objetivos principais promover o pensamento comunicacional da região ibero-americana, fortalecer a integração das pesquisas ibero-americanas e, ao mesmo tempo, projetá-las no panorama internacional. Visa atingir esses objetivos propondo trabalhar o tema central do congresso “Comunicação, Cultura e Mídias Sociais” através de conferências, mesas temáticas e de suas DTIs (Divisões Temáticas Ibercom).

Promoção e Realização

  • AssIBERCOM – Associação Ibero-Americana de Comunicação
  • ECA-USP - Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo
  • SOCICOM – Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação

Apoio

  • PPGCOM-USP – Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo
  • INTERCOM - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação
  • CONFIBERCOM – Confederação Ibero-Americana das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação
  • Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo
  • Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo
  • Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo
     

Patrocínio

  • FAPESP- Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
  • CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
  • CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

 

Participantes

  • Pesquisadores, professores, estudantes de pós-graduação, pós-doutorandos das diversas áreas que constituem o campo de estudos da Comunicação, tanto brasileiros como de países ibero-americanos.
  • Representantes de entidades nacionais e mega-regionais do campo da Comunicação, bem como das respectivas áreas e segmentos que atuam nos espaços acadêmico, institucional e profissional.

Objetivos

  • Debater, partilhar e disseminar o conhecimento gerado na região a partir das Divisões Temáticas IBERCOM.
  • Criar mecanismos de cooperação intra-regional, fomentando a formação de grupos de pesquisa e de projetos internacionais no espaço ibero-americano.
  • Promover o pensamento comunicacional na região ibero-americana, fortalecendo a integração das pesquisas, bem como, projetá-las no cenário internacional.

 

TEMA CENTRAL: COMUNICAÇÃO, CULTURA E MÍDIAS SOCIAIS

O processo de globalização acelerada, resultante da velocidade com que a ciência desenvolve as novas tecnologias de comunicação, fomentado também pela eficácia do controle que as agências financeiras internacionais exercem sobre a economia, vem ameaçando a riqueza da diversidade cultural do planeta. O século XX testemunhou o desaparecimento gradativo das fronteiras nacionais e dos enclaves regionais, favorecendo a difusão de modos de sentir, pensar e agir consentâneos com a natureza da(s) sociedade(s) politicamente hegemônica(s).

Todos esses processos não se dão sem ambivalências, contradições e paradoxos. O crescimento e diversificação das chamadas mídias sociais podem revelar, promover, facilitar ou suprimir, tipos específicos de comunicação, expressões de identidades culturais, formas de relações sociais, entendimentos interculturais e discursos comunitários.

XIV Congresso Ibero-americano de Comunicação procura oferecer uma ampla gama de perspectivas que exploram produções culturais, práticas comunicativas, mobilizações sociais nos novos cenários comunicativos protagonizados pelas mídias sociais. O título Comunicação, Cultura e Mídias Sociais evoca um tripé investigativo sobre fenômenos de cultura e de comunicação na era digital que estão sendo criados e designados como culturas de trabalho criativo, culturas compartilhadas e participativas. Entretanto tanto a cultura como a comunicação suscitam ideias sobre seus fundamentos conflitantes e de sentidos em disputa, ou seja, a cultura como um meio através do qual os significados sociais, políticos, geográficos e históricos são comunicados e compreendidos por grupos de idade, gênero, classe, nacionalidade e etnia diferentes, diferenciados e desiguais.

Apesar ou por causa disso, “estar em rede” tornou-se parte integrante da nossa vida diária, progressivamente envolvendo mais aspectos da vida humana, modificando não só os hábitos de comunicação, mas também a estrutura social tradicional, de organizações e instituições.

Enquanto a tecnologia continua a se desenvolver, plataformas de comunicação e paradigmas de comunicação estão mudando em um ritmo mais rápido do que nunca antes vivido. De linear para não-linear, a partir dos níveis individuais de engajamento para estruturas multi-plataformas, vemos nossos modos de vida deslocarem-se das mídias de massa tradicionais à Internet e às mídias sociais.

Como contribuir para criar ou transformar paradigmas de comunicação que garantam a nossa diversidade cultural, estimulando ao mesmo tempo nossas identidades sociais? Este é o desafio com que se depara a nascente comunidade ibero-americana de Ciências da Comunicação, reunida de 29 de março a 02 de abril de 2015, na cidade de São Paulo (Brasil), espaço a partir do qual pretende refletir sobre o tema e irradiar respostas.

 

XIV Congresso IBERCOM - PROGRAMA

31.03.2015 manhã

Conferência Inaugural: RUMO A UMA CULTURA DA TRANSPARÊNCIA

Conferencista: Derrick de KerckhoveUniversidade de Toronto - Canadá

A conferência inaugural será realizada pelo professor Derrick de Kerckhove e não mais pelo professor Jesús Martín- Barbero, em decorrência de problemas de saúde.
O professor Derrick de Kerckhove,  doutor em Língua e Literatura Francesas pela Universidade de Toronto, Canadá,  e  pesquisador convidado na Biblioteca do Congresso Nacional em Washington, EUA,  fará a conferência de abertura  com o tema Towards a Culture of Transparency, no dia 31/3, às 9h, no Complexo Biblioteca brasiliana Guita e José Mindlin.
Derrick de Kerckhove possui “Doctorat du 3e cycle” em Sociologia da Arte pela Universidade de Tours, França. Discípulo do famoso teórico canadense Marshal McLuhan, dirigiu por mais de 20 anos o Programa McLuhan em Cultura e Tecnologia da Universidade de Toronto. Leciona, principalmente, nas universidades de Toronto, no Canadá e na Federico II, em Nápoles, Itália.

01.04.2015 manhã

Mesa temática 1:  Mídias Sociais como Espaço de Poder

Os protestos ocorridos nos últimos anos em vários países têm, apesar das diferenças, um denominador comum: o uso do poder de mobilização propiciado pelas mídias sociais. Essa é uma dimensão complexa sobre o papel político da chamada “autocomunicação de massa” (Castells), pois nem sempre aponta para perspectivas emancipatórias. Os discursos de ódio e de preconceito, as questões de privacidade e segurança, também encontram na rede um meio de difusão. Ao mesmo tempo, questões tradicionais dos estudos comunicacionais voltados à interface política (propriedade dos veículos, poder de agendamento dos meios, papel das ideologias, etc.) não podem ser negligenciadas. Novas questões sobre a política e a comunicação são colocadas pelas mídias sociais, problematizando, questionando ou reforçando aspectos do conhecimento da área sobre o tema.

Moderador: Norval Baitello Junior – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palestrantes:

  1. Alejandro Piscitelli - Escuela de Altos Estudios en Comunicación Educativa ESAE-ILCE (México)
  2. António Fidalgo – Universidade da Beira Interior (Portugal)
  3. Francisco Rüdiger - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Brasil)

02.04.2015 manhã

Mesa temática 2: Mídias Sociais como Espaço de Cultura

Diferentes termos e conceitos têm sido propostos para dar conta da articulação entre as tecnologias digitais e a sociedade: cultural digital, cultura da convergência, tecnocultura, cibercultura, entre outros. As mídias sociais adicionam mais um elemento a essa relação, configurando um espaço sui generis de sociabilidades, comportamentos, práticas culturais envolvendo a expressão e a comunicação. Em que medida é possível pensar na efetiva emergência de novos espaços de cultura, criados pelas mídias sociais? Trata-se de uma reestruturação dos modos de vida, redefinindo a cultura atual como um todo, numa contraposição a um estágio anterior? O uso social das tecnologias na região ibero-americana envolve diferenças significativas em relação aos países de outras regiões ou a mídia social exemplifica a “mundialização cultural” (Ortiz)?

Moderador: Eugênio Bucci – Universidade de São Paulo (Brasil)
Palestrantes:

  1. Jorge A. González - Universidade Autônoma Nacional do México (México)
  2. Lúcia Santaella - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Brasil)
  3. Margarita Ledo – Universidade de Santiago de Compostela (Espanha)